primaveras.

Uma primavera que não o era,

E logo te encheste de primaveras,

E logo te fizeste em primaveras mais que muitas.

Não,

Certamente que não.

Apenas respirei de todos os aromas em flor.

Apenas me deixei tocar por cada brisa…ora morna ora fresca, ora morna ora fresca, ora morna ora fresca.

Apenas dei liberdade ao vento e escutei o sopro de cada grão de pólen em demandada.

Apenas me deixei cegar por todas as cores daquele jardim.

Apenas provei o sabor daquelas tardes amenas de quimera e estendida me deixei ficar no prado.

04_2014

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s